SILVA & SILVA INTELIGÊNCIA JURÍDICA PARA VENCER

STF vai discutir alíquota do IR de proventos recebidos no exterior

HomeNotíciasSTF vai discutir alíquota do IR de proventos recebidos no exterior

STF vai discutir alíquota do IR de proventos recebidos no exterior

O STF vai decidir se é constitucional a incidência da alíquota de 25% do Imposto de Renda exclusivamente na fonte sobre as pensões e os proventos de fontes situadas no país e recebidos por pessoas físicas residentes no exterior. A matéria é objeto do ARE 1.327.491, que teve repercussão geral reconhecida (Tema 1.174), por unanimidade, em deliberação no plenário virtual.

Turma recursal

No STF, a União questiona decisão da turma recursal do Juizado Especial Federal da 4ª região que declarou inconstitucional a incidência do Imposto de Renda retido na fonte, à alíquota de 25%, sobre aposentadoria do Regime Geral da Previdência Social paga a pessoa residente no exterior. Segundo a turma recursal, a forma de cobrança é inválida tanto no período anterior à vigência da lei 13.315/15, que alterou o artigo 7º da lei 9.779/99, como no posterior. Determinou-se, assim, a aplicação da tabela de alíquotas progressivas atualmente prevista na lei 11.482/07.

Com relação ao período anterior, o entendimento foi que a instituição da obrigação tributária por meio de ato normativo infralegal (decreto e instrução normativa) ofende o princípio da legalidade tributária. Após o advento da lei 13.315/15, por sua vez, a inconstitucionalidade da tributação decorre da contrariedade aos princípios da isonomia, da progressividade do Imposto de Renda, da garantia da não confiscatoriedade e da proporcionalidade.

Isonomia tributária

No recurso, a União aponta ofensa ao princípio da isonomia tributária, argumentando que o tratamento diferenciado conferido aos residentes no exterior em relação à incidência da alíquota de 25% não é aleatório. Segundo sustenta, esses contribuintes não estão obrigados a apresentar a declaração de ajuste anual, mas se submetem à tributação da renda recebida de fonte nacional com a alíquota prevista no artigo 7º da lei 9.779/99.

Uniformização

Ao se manifestar pelo reconhecimento da repercussão geral, o ministro Dias Toffoli afirmou que a declaração de inconstitucionalidade da norma pela turma recursal demonstra a necessidade de uniformização da controvérsia pelo Supremo, em âmbito nacional, de forma a evitar decisões conflitantes acerca da questão constitucional envolvida.

O ministro observou que interpretações dissonantes, a partir de fundamentos constitucionais e infraconstitucionais, têm gerado resultados díspares que afetam a capacidade contributiva dos contribuintes. Diante disso, considera “extremamente recomendável” que o STF se pronuncie, no âmbito da sistemática da repercussão geral, sobre a constitucionalidade das normas legais questionadas, de modo a garantir segurança jurídica à matéria.

Fonte: Migalhas

https://www.migalhas.com.br/quentes/353079/stf-vai-discutir-aliquota-do-ir-de-proventos-recebidos-no-exterior