SILVA & SILVA INTELIGÊNCIA JURÍDICA PARA VENCER

Morte de devedor de empréstimo consignado não extingue dívida

HomeNotíciasMorte de devedor de empréstimo consignado não extingue dívida

Morte de devedor de empréstimo consignado não extingue dívida

O entendimento da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região foi de que a morte de uma pessoa que contratou empréstimo consignado não faz com que a dívida seja extinguida e a herança, nos seus limites, responde pela obrigação, ao negar o pedido de suspensão de dívida.

A ação de embargos à execução pedindo a suspensão da dívida, de R$ 72 mil, foi negada pela 11ª Vara Federal de Curitiba e um dos herdeiros recorreu ao tribunal. Ele reafirmou a possibilidade de extinção da dívida em virtude da morte da consignante, conforme disposto na 1.046/1950 (artigo 16), que dispõe sobre consignação em folha de pagamento.

Segundo a relatora, desembargadora federal Marga Inge Barth Tessler, explicou que embora a Lei 1.046/50 não tenha sido expressamente revogada, ela não está mais em vigor, e a legislação vigente não tratou do tema disposto no artigo 16.

A relatora afirmou que a morte do consignante não extingue a obrigação decorrente do empréstimo, pois a herança responde pela dívida. Logo, os herdeiros, no limite das forças da herança, assumem a obrigação de pagamento.

“O fato de o vencimento antecipado da dívida ter ocorrido em virtude da morte do consignante não é suficiente para afastar a possibilidade de execução do débito, eis que segue válida a cláusula que prevê a possibilidade de vencimento antecipado no caso de inadimplência, o que é o caso dos autos”, concluiu.

Fonte: Conjur.

WhatsApp chat